Solidariedade

Solidariedade
Foto: Blog "tododiaumtextonovo"

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Homem arrisca a vida para salvar gata em cima de poste no RS

Gata fugiu de cachorros e ficou cerca de 10 horas no topo do pilar.
Dona só ficou sabendo que se tratava do seu animal pela imprensa.

Vinicius Rebello e Luiz Antonio Barbará Do G1 RS
104 comentários
Cléber Alves salvou um gato que estava em cima de um poste (Foto: Rodrigo Assmann/Gazeta do Sul)Cléber Alves salvou um gata que estava em cima
de um poste (Foto: Rodrigo Assmann/Gazeta do Sul)
A gata Neguinha passou por um sufoco em Santa Cruz do Sul, no interior do RS. Por volta das 7h de segunda (19), para fugir de cães furiosos, teve que escalar um poste elétrico com cerca de 10 metros de altura.
Alves trabalhava em um alambrado perto do poste quando avistou o animal. Sem conseguir descer, ficou no topo do pilar até o final da tarde, quando Cléber Alves, de 31 anos, arriscou a vida para salvar o animal.
"Todos duvidaram e eu subi lá para salvar o bichinho", disse ao G1 o homem, que trabalha na construção de cercas na cidade.
Assustada, Neguinha arranhou o braço de Cléber quando o homem tentou resgatá-la. Depois de uma rápida conversa e um pequeno afago, o animal ficou mais calmo e permitiu o salvamento.
Célia Fritz, a dona de Neguinha, disse ao G1 que havia notado o desaparecimento da gata logo pela manhã. Porém, só ficou sabendo que o animal que havia virado notícia na cidade era seu quando o viu pela televisão, à noite.

.http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2011/12/homem-arrisca-vida-para-salvar-gato-em-cima-de-poste-no-rs.html

 

Protetores de animais se unem para reduzir abandono em Porto Alegre

 

26/12/2011 08h53 - Atualizado em 26/12/2011 09h19

Número de bichos nas ruas é estimado por ONGs em pelo menos 500 mil.
Internet surge como grande aliada da causa.

Tatiana Lopes Do G1 RS
Comente agora
Sara dedica boa parte de seu tempo para cuidar dos animais (Foto: Arquivo pessoal)Sara dedica boa parte de seu tempo para cuidar dos
animais (Foto: Arquivo pessoal)
Basta caminhar pelas ruas de Porto Alegre para perceber um dos problemas da cidade: os animais abandonados. São pelo menos 500 mil. De acordo com estimativa da Secretaria Especial dos Direitos Animais (Seda) e ONGs, para cada três moradores da capital gaúcha, há um cão ou gato sem lar. Para reduzir esses números, amantes dos bichos se unem e criam diversos abrigos independentes.
O G1 conversou com três grupos de protetoras. Duas abrigam animais abandonados em seus sítios, próximos a Porto Alegre. Juntas, elas somam, entre cachorros, gatos e até um cavalo, 638 animais. “Já chegou ao limite. Por falta de espaço, tenho cerca de 20 cães em casas de passagem”, explica Paula Lopes, do Projeto Adoradores de Vira-Latas.
Jamais tiraria dinheiro dos 'cuscos', muito ao contrário, parte do meu eu dou a eles"
Sara Vieira, ONG Anjos de Patas
Na ânsia de ajudar, algumas chegam a se endividar. É o caso de Sara Vieira, da ONG Anjos de Patas. Até o início de dezembro, ela acumulava uma dívida de R$ 12 mil na distribuidora de ração. “Levo R$ 3 mil, e compro mais. Faz uns seis meses que não consigo baixar. Já vendi meu carro para comprar o sítio que tenho e que é a casa deles”, conta a protetora, que trabalha em uma empresa de gesso. Apesar das dificuldades, ela dá um jeito de seguir com o projeto: “Jamais tiraria dinheiro dos 'cuscos', muito ao contrário, parte do meu eu dou a eles”, completa.
Táxi-dog e hospedagem para garantir ração aos cães
A ajuda que vem de fora é sempre bem-vinda. As protetoras se mantêm com o apoio de pessoas que também lutam pela causa. Recebem doações de ração e até de dinheiro. Outra forma de arrecadação é a organização de brechós e feiras para venda de artigos para animais.
Diferente de Sara, que tem um trabalho paralelo, Paula se dedica integralmente à proteção dos animais. Para amenizar as dificuldades, além das vendas que também promove nas feirinhas, ela criou outros meios para se manter, como o táxi-dog. “Não tenho como ter outro trabalho. Para ter uma renda extra faço hospedagem e táxi-dog, um serviço para quem precisa transportar algum animal machucado que é encontrado nas ruas, por exemplo, e não tem como levá-lo a alguma clínica”, conta.
Sítio de Paula recebe doações para se manter (Foto: Arquivo pessoal)Paula recebe doações para manter o sítio (Foto: Arquivo pessoal)
O trabalho da Seda
Pelo lado da Prefeitura, a Seda encaminha para atendimento cerca de 70 animais por semana a uma clínica veterinária licitada, localizada na Zona Norte da cidade. Um veículo doado pela Associação de Transportadores de Passageiros (ATP) visita comunidades de Porto Alegre e recolhe os bichinhos. “O ônibus tem capacidade para 31 cães e gatos. Funciona com pré-agendamento. Nas segundas e quartas recolhemos, e terças e quintas devolvemos os animais”, explica a coordenadora da área de medicina veterinária da secretaria, Márcia Gemerasca.
Ônibus da Prefeitura transporta animais para cuidados especiais (Foto: Guerreiro/Divulgação PMPA)Ônibus da Prefeitura transporta animais para
cuidados especiais (Foto: Guerreiro/Divulgação PMPA)
É no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) que os animais sem lar são abrigados. Estão no local 60 cães e 12 gatos que foram abandonados. Assim como muitos outros, eles esperam por adoção. “Não podemos virar um depósito de animais. Eles recuperam-se e voltam aos seus donos e lares, ou para quem os resgatou. Se não puderem ficar com o animal, eles permanecem aqui, mas sempre procuramos o encaminhamento”, diz Gemerasca.
Para evitar o aumento de animais nas ruas, a Seda investe na castração e na identificação por microchip. Quando um cão ou um gato é adotado, seus dados ficam gravados na internet. Se ele se perder ou for abandonado, é possível fazer a localização. O procedimento também é adotado por clínicas veterinárias.
Internet como aliada
É por meio das redes sociais que as protetoras encontram o principal canal de divulgação da causa e, consequentemente, conseguem mais ajuda. Fotos e informações enviadas por qualquer pessoa que tenha algum animal para adoção, por exemplo, são publicadas nas páginas de blogs e Facebook.
“Só posso agradecer pela ajuda na internet, além de sempre conseguir bons adotantes, todos os dias aparecem pessoas querendo doar R$ 10, doar ração... Tudo ajuda muito”, diz Sara.
A internet também é a melhor amiga de pessoas que se uniram para ajudar a encontrar lares para animais abandonados. É o caso de três amigas que fundaram o projeto Animal é tri!, em Porto Alegre. Ao contrário de Paula e Sara, elas não têm um sítio para abrigo e adoção, por isso mantêm cães e gatos nas próprias casas, em protetoras ou em casas de passagem, que cobram cerca de R$ 120 por mês por animal.
“Hoje temos mais de 20 esperando adoção”, conta Tathiana Jaeger, que é professora estadual e dá aula de artes visuais em duas escolas. Além dela, Cláudia Cantagalo e Marcela Mourão estão no projeto. “Pela nossa página já conseguimos muitas coisas, a internet forma uma corrente do bem muito grande”, acrescenta.
Em um ano de trabalho, o Animal é tri! contabiliza 40 adoções. A página do projeto no Facebook também divulga casos de outras protetoras. Por isso, recebeu o nome de Mural dos Bichos RS. Em quatro meses no ar, já soma mais de 2.700 fãs. Em breve, as amigas pretendem fazer do projeto uma ONG.
COHEÇA ALGUMAS PROTETORAS
Anjos de Patas
Projeto Adoradores de Vira-Latas
Projeto Animal é Tri!
Contato com a Seda: Pedidos de atendimento, denúncias de maus-tratos e dúvidas sobre o trabalho da Seda são recebidos através do telefone 156.
  http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2011/12/protetores-de-animais-se-unem-para-reduzir-abandono-em-porto-alegre.html

 

 

Apoio da população

Nos comprometemos, no blog, a só postar notícias de finais felizes. Mas temos colocado algumas de maus tratos. A razão é que está havendo uma maior conscientização quanto aos maus tratos de animais e crianças a população tem atuado de forma a pará-los, denunciá-los à polícia, utilizar amplamente a internet para divulgar os fatos. Muitos dos monstros já devem ter se arrependido. É essa a razão de colocarmos notícias que fazem o coração doer.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

MONSTRO!!!!!

Cachorro enterrado vivo passará por cirurgia em Novo Horizonte, SP

Um olho pode ter sido atingido por ferramenta quando era enterrado

08.12.2011 | Atualizado em 08.12.2011 - 19:26


O filhote de cachorro de 4 meses que passou 12 horas enterrado vivo no quintal da casa de um aposentado, em Novo Horizonte, no interior de São Paulo, deverá passar por cirurgia no olho nos próximos dias. Segundo o presidente da Associação Protetora dos Animais “Mão Amiga”, Marco Antonio Rodrigues, várias pessoas entraram em contato com a entidade querendo ajudar a salvar o cão. “Teve gente de Boston, nos Estados Unidos, pedindo o número da conta da associação".
Com sarna e o olho esquerdo machucado, Titã, nome que ganhou dos funcionários da associação, está recebendo toda atenção da veterinária Viviane Cristina da Silva. Ela disse que os últimos exames apontaram piora no estado de saúde dele. "A anemina é grave, o que mostra que o cachorro sofria maus-tratos há tempo". O ferimento no olho deve ter sido provocado por alguma ferramenta. “Estamos tentando salvá-lo, mas a situação dele é bastante crítica”, disse. O animal deve permanecer internado por pelo menos 15 dias. A cirurgia no olho será feita na clínica da veterinária Viviane, em Novo Horizonte.
Ele deve permanecer internado por pelo menos 15 dias. A cirurgia será feita na clínica da veterinária Viviane, em Novo Horizonte. Marco Antonio também contou que a população da cidade está revoltada.
Segundo o presidente da associação, o antigo dono do cachorro, que mora com um irmão no Parque Centenário, não foi visto mais pela cidade nas últimas horas. “É impressionante uma pessoa ter coragem de fazer uma crueldade como essa. O aposentado deve ter percebido o mal que causou”.

Titã, resgatado após ficar enterrado, é atendido por veterinária
Doação
Pelo menos sete pessoas estão aguardando ansiosas qual será o futuro de Titã. São os candidatos a adotar o animal. Jonga Madureira, de 30 anos, publicitário, morador na zona sul da capital paulista,b é um deles. “Estou disposto a cuidar e adotá-lo. Além disso, pagar todas as despesas de viagem e do tratamento. Tenho dois cachorros e uma chinchila. Eu e minha noiva adoramos animais.  Foi impressionante o que fizeram com esse cachorro em Novo Horizonte”, contou.
Colaboração Quem quiser colaborar com Titã e com a Associação “Mão Amiga”, o número da conta é: Caixa Federal, agência 0801 e conta-corrente 003-864-7. O nome Titã significa “filho da terra" ou "salvo da terra”. Ele já é considerado símbolo de coragem para os moradores da cidade.

http://www.correio24horas.com.br/noticias/detalhes/detalhes-1/artigo/cachorro-enterrado-vivo-passara-por-cirurgia-em-novo-horizonte-sp/

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Cão salva gatinhos abandonados para morrer em estrada dos EUA

Uol

Um cão resgatou dois filhotinhos de gato abandonados e deixados para morrer em uma estrada dos EUA.

Os gatinhos foram colocados dentro de um saco e jogados em uma estrada movimentada da região do condado de Madison, na região rural do Estado de Iowa. O cão Reagan encontrou o saco e o levou até a sua dona. O animal ficou diante da dona até que ela abrisse o saco.

A dona de Reagan ouviu o miado de gatinhos dentro do saco. Quando verificou o que tinha dentro, encontrou dois filhotinhos cobertos de sangue.
"O instinto do cão foi tão educado que [Reagan] não matou os filhotes. Com todo aquele sangue, alguns cães poderiam responder ao cheiro. Reagan é um herói", disse Linda Blakely, do Raccoon Valley Animal Sanctuary, que abriga os gatinhos atualmente.

Os gatos estavam tão fracos quando foram encontrados que poucos acreditavam que eles pudessem sobreviver. Eles tiveram que ser alimentados a cada duas horas e hoje, quase três meses depois de terem sido encontrados, estão saudáveis e têm uma vida normal.

Os filhotes, que ganharam os nomes de Skipper e Tipper, estão disponíveis para adoção no Raccoon Valley Animal Sanctuary. As informações são do "WHOTV.com".
Publicada: 06/12/2011 08:54| Atualizada: 06/12/2011 08:53 
http://www.tribunadabahia.com.br/news.php?idAtual=100153
Um cão resgatou dois filhotinhos de gato abandonados e deixados para morrer em uma estrada dos EUA.

Os gatinhos foram colocados dentro de um saco e jogados em uma estrada movimentada da região do condado de Madison, na região rural do Estado de Iowa. O cão Reagan encontrou o saco e o levou até a sua dona. O animal ficou diante da dona até que ela abrisse o saco.

A dona de Reagan ouviu o miado de gatinhos dentro do saco. Quando verificou o que tinha dentro, encontrou dois filhotinhos cobertos de sangue.
"O instinto do cão foi tão educado que [Reagan] não matou os filhotes. Com todo aquele sangue, alguns cães poderiam responder ao cheiro. Reagan é um herói", disse Linda Blakely, do Raccoon Valley Animal Sanctuary, que abriga os gatinhos atualmente.

Os gatos estavam tão fracos quando foram encontrados que poucos acreditavam que eles pudessem sobreviver. Eles tiveram que ser alimentados a cada duas horas e hoje, quase três meses depois de terem sido encontrados, estão saudáveis e têm uma vida normal.

Os filhotes, que ganharam os nomes de Skipper e Tipper, estão disponíveis para adoção no Raccoon Valley Animal Sanctuary. As informações são do "WHOTV.com".

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Cadela cega e seu cão-guia chegam à casa dos novos donos na Inglaterra

31/10/2011

Casal foi escolhido entre mais de 2 mil interessados em adotar os animais.
Cadela dinamarquesa e seu companheiro foram abandonados em abrigo.

Os felizes novos donos passeiam com os cães Lily e Maddison (Foto: Reprodução/Daily Mail)Os felizes novos donos passeiam com os cães Lily e
Maddison (Imagem: Reprodução/Daily Mail)
Depois de mais de 2 mil pessoas na Grã-Bretanha se oferecerem para abrigar uma cadela dinamarquesa cega e seu cão-guia, a dupla canina Lily e Maddison finalmente ganharam novos donos, segundo noticiou o site do "Daily Mail".
Anne Williams, de 52 anos, e seu marido Len, bombeiro aposentado de 53, se apaixonaram pelos animais quando souberam que eles estavam disponíveis para adoção. "Sempre tivemos dois cachorros, gosto que eles tenham companhia. Então ter os dois em casa não parecia um desafio tão grande", conta Anne, que é gerente de seguradora.
O casal ficou sem cães em casa desde que a filha deles se mudou com os dois setters ingleses, cinco meses atrás. Eles moram em uma área rural de Cheshire.
A cadela Lily, de seis anos de idade, teve seus olhos removidos quando ainda era filhote e é companheira de Maddison, de sete anos, que foi adestrado para ajudá-la a se locomover.
O par foi deixado no abrigo Shrewsbury Dogs Trust quando seus donos não puderam mais cuidar dos animais, em julho deste ano.
http://g1.globo.com/mundo/noticia/2011/10/cadela-cega-e-seu-cao-guia-chegam-casa-dos-novos-donos-na-inglaterra.html

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Operário desce túnel de 11 metros de profundidade para resgatar cadela

Animal estava preso há 12 horas em um buraco de terra em uma obra.
Grupo de operários montou 'operação de resgate', em Maring
á

 

27/04/2011 14h06 - Atualizado em 27/04/2011 16h19
Um grupo de operários de uma linha de trem em Maringá, no Norte do Paraná, resgatou uma cadela que estava há 12 horas presa em um buraco de terra de 11 metros de profundidade, na manhã desta quarta-feira (27).

Na noite de terça-feira (26), os vizinhos da obra ouviram latidos que vinham do meio da terra e chamaram o Corpo de Bombeiros, que não foi atender a ocorrência. Quando os trabalhadores chagaram no canteiro, nesta quarta, se comoveram e montaram uma ‘operação de resgate’.

Um dos operários desceu os 11 metros do túnel e ficou 15 minutos lá embaixo até subir com a cadela, chamada Djulia, no colo.

Segundo os trabalhadores da linha de trem, a cadela sempre aparece na obra e normalmente no horário de almoço deles e depois vai embora.
http://g1.globo.com/parana/noticia/2011/04/operario-desce-tunel-de-11-metros-de-profundidade-para-resgatar-cadela.html

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Cão ajuda a resgatar corpos de seus donos em Teresópolis (RJ)

O vira-lata Caramelo ajudou a resgatar os corpos de seus donos, soterrados durante a chuva da semana passada, e não arredou pé da sepultura deles.
Ele vivia com sua dona, Cristina Maria Cesário Santana, e outras três pessoas numa casa do bairro Caleme, um dos mais devastados em Teresópolis. A casa foi soterrada e a família morreu. O cão escapou, mas ficou cavando até localizá-los.
Quando as equipes de resgate chegaram ao local, foram guiadas por Caramelo até os corpos. Ele foi resgatado pela ONG Estimação. Não queria sair do lado da cova de sua dona e agora está muito carente. Pula no colo de qualquer pessoa que se aproxime.
http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/861565-cao-ajuda-a-resgatar-corpos-de-seus-donos-em-teresopolis-rj.shtml
17/01/2011